nossadica





Nossa História

21/06/2013 - Data comemorativa do dia 24/06




Em 24/06/1872 se instalava em Estrela Mathias Ruschel Sobrinho




Mathias Ruschel Sobrinho


Mathias Ruschel Sobrinho - Antigo líder empresarial em Estrela, para onde veio morar em 24/06/1872.
Em 1900, construiu casa própria.
Em 09/02/1904, com seus irmãos Nicolau e Francisco Xavier, sob a razão social de Ruschel Irmãos, implantou uma empresa de navegação fluvial e também a primeira elétrica em Estrela.
Em 1905, foi agraciado com a patente militar de major da Guarda Nacional.
Prestou serviços à sua comunidade católica, bem como militou na vida política, defendendo idéias e programas do Partido Libertador.
Como esportista, cedeu parte de sua propriedade para instalar o campo de futebol do Estrela Futebol Clube.

Mathias Ruschel Sobrinho
Mathias Ruschel Sobrinho
Mathias Ruschel Sobrinho




Em 24/06/1872 se instalava em Estrela Mathias Ruschel Sobrinho





Miguel Ruschel – Capitão da Guarda Nacional, conselheiro municipal e presidente do Conselho, de 21/01/1895 a 15/10/1896, líder empresarial e negociante em Estrela.
Acompanhou a família na imigração ao Brasil, em 17/10/1846, estabelecendo-se na Escadinha, em Feliz, onde se casou e montou um curtume.
Em 24/06/1872, veio com a família Ruschel para Estrela, onde comprou o histórico sobrado de Antônio Vítor de Sampaio Mena Barreto, abrindo uma casa comercial e hotel.
Foi um dos sócios fundadores da Paróquia de Santo Antônio e da Cäcilien Verein Estrela, em 1876.
Pelo Ato nº 36, de 17/04/1884, foi nomeado oficial para o posto vago existente no 5º Batalhão de Infantaria da Guarda Nacional da Reserva, como capitão na 5ª Companhia, em Estrela.
Em 1889, foi membro da Comissão da Igreja Matriz de Santo Antônio, encarregado da construção da atual igreja matriz.
No porto de Estrela tinham um vapor.



Fotos: Acervo digital do site www.nossadica.com.br
Fonte: Dicionário de Estrela de José Alfredo Schierholt



Nossa História

21/06/2013 - Data comemorativa do dia 24/06




Em 24/06/1872 nascia o Hotel Ruschel




Hotel Ruschel

Em primeiro plano está o Hotel Ruschel e mais ao fundo se vê o Hospital Estrela




Hotel Ruschel - Mais antigo hotel de Estrela pertenceu ao capitão Miguel Ruschel, desde 24/06/1872, quando comprou o histórico sobrado de Antônio Vítor Sampaio Mena Barreto, hoje Rua Doutor Tostes, 320.
Na parte dos fundos, foi estabelecida a primeira fábrica de cerveja em Estrela.
Numa das extremidades da parte da frente, abriu uma casa comercial, com empório de compra e venda de produtos coloniais, armazém de secos e molhados.
Na outra extremidade, continuava a sala de aula provincial.
No segundo pavimento, reservou parte das dependências para uma pousada, conhecida por Hotel Ruschel. Comprava glebas de terras maiores e as dividia em lotes coloniais, recebendo no hotel os compradores e fregueses, enquanto erguiam provisoriamente seus ranchos.
O prédio de alvenaria era espaçoso. A frente tinha quatro portas e quatro grandes janelas, no pavimento térreo. No segundo piso frontal, havia oito janelas.
Para os fundos, havia três janelas nos dois pavimentos e mais duas janelas num puxado, o que permite um cálculo superior a 1.000m² de área construída.
Uma das salas serviu de primeira escola pública em Estrela, em 1871, um ano antes da vinda da família Ruschel.
Nessa ampla sala de aula, em 21/02/1882, foi instalado o município de Estrela, servindo por 5 anos de Intendência.
Mais tarde, o Hotel teve outros nomes, como Hotel Franke.
Passou por diversas gerências, como, por exemplo, Antônio Mário Kroeff, Eduviges Ruschel, mencionado pelo O Paladino, de 25/12/1931.
Posteriormente, assumiu Jean Hanquet, casado com Anita Ruschel.
Surgindo em Estrela outros hotéis, em prédios mais novos e confortáveis, o Hotel Ruschel deixou de funcionar, passando o prédio a servir para outras finalidades.
A última serventia foi para nele funcionar a Manufatora de Couros Estrelense Ltda., a primeira empresa industrial de Estrela, para a fabricação de calçados, idealizada por Arnaldo José Diel. Para isso, em 23/11/1945, Diel adquiriu por Cr$ 39.000,00 o sobrado, anexando à empresa o comércio de papel e uma pequena tipografia.
Não dando certo a industrialização do couro e fábrica de calçados, ampliou nele o parque gráfico, até ser transferido para Lajeado, em 1951, origem da Gráfica Cometa.
Sem maior serventia, com um custo muito elevado para a restauração, no ano seguinte, foi o sobrado demolido.
Em seu espaço, Diel construiu uma moderna moradia, adquirida e transformada em museu-residência da família Schinke, desde 1957.

Residência da família Schinke


Fotos: Acervo digital do site www.nossadica.com.br
Fonte: Dicionário de Estrela de José Alfredo Schierholt



Nossa História

19/06/2013 - Data comemorativa do dia 21/06




Em 21/06/1945 nascia Luiz Antônio de Assis Brasil




Luiz Antônio de Assis Brasil - Escritor, cronista e professor, * 21/06/1945, em Porto Alegre.
Viveu a infância e adolescência em Estrela, onde seu pai foi inspetor veterinário.
Em 1962, começou a estudar música com o violoncelista Roberto Bastos André.
Em 1965, ingressou no Curso de Direito da PUCRS e foi admitido como violoncelista na OSPA.
Obras: Um Quarto de Légua em Quadro (1976), A Prole do Corvo (1978), Bacia das Almas (1981), Manhã Transfigurada (1982), As Virtudes da Casa (1985), O Homem Amoroso (1986), Cães da Província (1987, que lhe deu o grau de doutor em Letras pela PUCRS), Videiras de Cristal (1990), Perversas Famílias (1993), Pedra na Memória (1993), Os Senhores do Século (1994), Breviário das Terras e Concerto Campestre (1997) e O Pintor de Retratos (2001).
Foi diretor do Instituto Estadual do Livro.
Desde 1985, coordena a Oficina de Criação Literária do Curso de Pós-graduação em Letras da PUCRS.

Luiz Antônio de Assis Brasil Colégio Santo Antônio

Na primeira foto acima aparecem sentados no pátio do Colégio Santo Antônio Luiz Antônio de Assis Brasil ao lado de Roque Schwertner
Na segunda foto aparece o Colégio Santo Antônio com o "famoso" portão verde citado por Assis Brasil em um de seus livros, por onde os alunos "escapavam" para gazear.




Em 21/06/1925 era perfurado o primeiro poço artesiano por Luís Inácio Müssnich




Abastecimento de água em Estrela.
Em 1872, no Hotel Ruschel havia um bebedouro ou poço da vila, do qual se servia o público ou mesmo para cavalgaduras dos viajantes.
Médicos sanitaristas alertaram o poder público que as doenças infecciosas e epidemias tinham sua origem no consumo de água poluída do Rio Taquari e arroios.
A primeira medida foi incentivar a perfuração de poços domésticos.
Outros recolhiam água pluvial em cisternas, especialmente em períodos de estiagem.
Como se pode acompanhar na história do Poder Executivo, a cada período aflorava o problema, encontrando-se a primeira solução na perfuração de um poço artesiano, junto à fábrica de cerveja, executada por Luís Inácio Müssnich em 21/06/1925, numa profundidade de 207 metros.
Não serviu apenas para a indústria da cerveja, mas também a vizinhança.
O prefeito nomeado de Estrela, coronel Martim Leonardo, mandou perfurar o 3º lençol d'água, através de um poço artesiano de 214 metros de profundidade, obra completada em 25/01/1935.
Carlos Söllinger, de Porto Alegre, montou os equipamentos e o resultado foi o fornecimento de 15.000 litros por hora, jorrando a água à altura de um metro. Com a utilização de um compressor de ar, a produção de água duplicou. O mesmo prefeito, pelo Ato n.º 114, de 05/02/1935, proibiu o fornecimento de água do rio Taquari à população da vila.

Primeiro poço artesiano


Poço artesiano perfurado nos fundos da Prefeitura


Fotos: Acervo digital do site www.nossadica.com.br
Fonte: Dicionário de Estrela de José Alfredo Schierholt



Nossa História

13/06/2013 - Data comemorativa de amanhã 14/06




Em 14/06/1968 Aneli Fuchs – Miss Estrela 1966 representava Estrela no concurso Miss Rio Grande do Sul




Aneli Fuchs – Miss Estrela 1966.
Rainha do Rotary e da Femai, representou Estrela no concurso Miss Rio Grande do Sul, em 14/06/1968, eleita princesa em 4º lugar.


Aneli Fuchs



Nossa História

10/06/2013 - Data comemorativa de amanhã 11/06




Em 11/06/2001 iniciavam as obras da Passarela




Passarela - Ponte ou elevada para pedestres, sobre a BR-386, em Estrela, ligando os bairros dos Estados e Boa União.
Iniciada em 11/06/2001, a obra foi construída pela M. Martins-Engenharia & Comércio Ltda., aos cuidados do engenheiro Marcos Alex Guimarães Castro.
Ao custo de R$ 400 mil, oriundos do Ministério dos Transportes, foi liberada ao público em 18/01/2002.
Também tomou o nome de Passarela a passagem provisória junto à Ponte Prefeito Adão Henrique Fett, em obras de recuperação, ligando os bairros Centro e Oriental.


Passarela Passarela


Imagens do acervo digital do site nossadica.



Nossa História

09/06/2013 - Esporte Clube Oriental




Esporte Clube Oriental


Esporte Clube Oriental


Os moradores do bairro Oriental procuram unir-se também para o lazer e práticas esportivas.
Quase perdida na página 03 de O Paladino, de 23/10/1921, encontramos a notícia:
Foi fundada uma nova sociedade de Foot Ball que tomou o nome de S. C. Oriental (deve ser Esporte Clube Oriental).
A nova sociedade tem sua sede no Oriental, arrabalde desta vila.
A edição do dia 13 do mês seguinte registrou: Realizou-se Domingo passado (06/11/1921) a inauguração do grund (campo) da nova sociedade Sport Club Oriental, com sede no bairro Oriental.
Foi servido a todos os sócios e exmas. famílias suculento churrasco.
Abrilhantou a festa uma banda de música.



Foto: Acervo digital do site www.nossadica.com.br
Fonte: Estrela Ontem e Hoje de José Alfredo Schierholt



Nossa História

09/06/2013 - Data comemorativa de amanhã 10/06




Em 10/06/1921 era inaugurado o Grêmio Esportivo Estrelense




Grêmio Esportivo Estrelense – Associação esportiva em Estrela, para a prática do futebol.
Fundado em 10/06/1921, seu campo esportivo foi festivamente inaugurado em 25/11/1923.


Grêmio Esportivo Estrelense

Um grupo de esportistas, em 10/06/1921, fundou o Grêmio Esportivo Estrelense.
Enquanto seus associados ajuntavam recursos para organizar seu campo esportivo, os jogadores treinavam num potreiro, na propriedade do Sr. Pedro Mate.
No local situava-se o campo da Chacrinha.
O semanário lajeadense O Labor, de 14/10/1922, noticiou que no dia 12 excursionou à vila da Estrela os quadros do Club Esportivo Lajeadense a fim de disputar um trainning com o “Grêmio Estrelense”.
Venceram os quadros lajeadenses por 3 x 0 o 1º quadro e 2 x 1 o 2º quadro.
Naturalmente, a sociedade não construiu um estádio, mas preparou um gramado em condições, acomodando também o espaço para as torcidas, além de um local de festa para o público.
O "campo de esportes" foi festivamente inaugurado em 25/11/1923.
Para a solenidade, conforme O Paladino, de 02/12/1923, o Grêmio Esportivo Estrelense convidou o Clube Esportivo Lajeadense para disputar um match amistoso com o 1º quadro daquele Clube.
Às 13h30min saiu daqui o team lajeadense, acompanhado da digníssima diretoria, torcedoras e torcedores, lá chegando às 14 h; seguido pela música, bem como pela diretoria do Grêmio, o campeão do Alto Taquari se dirigiu para o campo, onde já uma multidão de sportmans o esperava - conforme O Labor, edição de 01/12/1923.
Após a preliminar, de 1 x 1, entre Esporte Clube São Gabriel, hoje de Cruzeiro do Sul e o 2º quadro do Grêmio Estrelense, o juiz Cláudio Slongo chamou em campo os primeiros quadros, que tomaram as seguintes posições:
Grêmio Estrelense:
Gasparotto, Macaco, Schwertner, Odilon, Pedro, Osmar. Lopes, Gastão, Lima, Dirceu, Kasper.
Clube Esportivo Lajeadense:
Dorval, Bilo, Raymundo, França, Mello, Oscar. Orlando, Romualdo, Walter, Berner, Norberto.
Com dois goals anulados do lajeadense, o juiz deu por findo o match com o empate de 1 a 1 goal.
A entidade esportiva mantinha dois times completos, sendo o próprio Grêmio formado pelos titulares e o reserva era identificado por Ban-team.
Não havendo torneios entre os clubes, os dois quadros ofereciam partidas amistosas ao público local.
Na edição de 13/06/1926, O Paladino dá a notícia da comemoração do 5º aniversário do Grêmio Sportivo Estrellense, com os dois ll da ortografia da época, fundada em 10 de junho de 1921 por um pugilo de distintos jovens pertencentes à nossa melhor sociedade.
Mais adiante transcreve a 1ª Ata:
Às 18 horas do dia dez de junho de mil novecentos e vinte e um, reunidos os abaixo assinados na casa do Sr. João Müller, gentilmente cedida para tal fim, tratou-se da organização de uma sociedade para o cultivo do Foot-Ball entre nós.
Aberta a sessão pelo Sr. Olavo de Carvalho Freitas e secretariada pelo Sr. Tomás Flores, foi posto em discussão o nome que deveria ter a nova associação esportiva.
Depois de várias propostas ficou assentado, por maioria de votos, o nome de Grêmio Sportivo Estrellense.

Antônio Cardoso


Em seguida, foi eleita a diretoria que deveria reger os destinos da novel associação, durante o corrente ano, a qual ficou assim constituída:
Pres.: Antônio Cardoso
Vice: Olavo de Carvalho Freitas
Secret.: Tomás Flores
Tes.: Paulo Bergamaschi
Capitão Geral: Pedro Mörschbächer
G. Sport: Affonso Senger, ficando igualmente resolvido que a Diretoria eleita tomasse posse dos respectivos cargos às 16 h do dia 12, por ocasião do primeiro trainning (treino). Nada mais havendo a tratar...
Subscreveram a ata de fundação mais os seguintes senhores: Olavo de Carvalho Freitas, Osmar V. Barcellos, Sady de Azambuja Pontes, Timóteo Prudente, Paulo Bergamaschi, Lauro e Artur Pais, Antônio Cardoso, Albino Müssnich, Teobaldo Fischer, Artur Fischer, Adolfo e Edmundo Neuhaus, José Ruschel, Odilon Porto, João Castro, Alfredo Schaan, C. Pinto, Ivo Ruschel, Afonso Senger, Otero Junqueira e Edgar Hauschild.



Nos demais anos, foram presidentes:
Em 1922: João de Oliveira Castro
Em 1923: Artur Buchmann
Em 1924: Antônio Cardoso
Em 1925: Artur Buchmann
Em 1926: Ernesto Bohrer.



Foto: Acervo digital do site www.nossadica.com.br - Antônio Cardoso
Fonte: Dicionário de Estrela e Estrela Ontem e Hoje, ambos de José Alfredo Schierholt



Paróquia Santo Antônio






Nossa História





08/06/2013


Paróquia Santo Antônio





Depois de capela São Vítor em Novo Paraíso, Antônio Vítor de Sampaio Mena Barreto liderou os poucos moradores do núcleo urbano para construir a capelinha de madeira, em honra de Santo Antônio.
Talvez tivesse caráter provisório.
A autorização foi dada em 1869. O povoado crescia muito.
Logo se viu o espaço pequeno da capela.
Toda a colonização crescia.
O projeto era criar uma Paróquia.
Para isso, era mister uma capela maior, para depois servir de igreja matriz.
A comissão construtora do prédio foi nomeada pelo governo provincial em março de 1873, assim composta: Major Antônio Vítor de Sampaio Mena Barreto, Carlos Altmayer, Paulo Mallmann, Valentim Schossler e João Eckert.
No mesmo documento consta a ordem à Diretoria Geral da Fazenda Provincial para mandar pôr à disposição dessa Comissão a quantia de um conto de réis no orçamento para as obras.
A Lei Provincial n.º 857, de 02/04/1873, que criou a freguesia de Santo Antônio de Estrela, foi confirmada canonicamente por Provisão Eclesiástica de 11/07/1873.
A primeira igreja matriz, construída com recursos públicos, mormente da loteria provincial, logo se tornou pequena.
Duas décadas depois, sua ampliação foi chefiada pelo Pe. Francisco Schleipen, construindo-se as atuais duas torres e a fachada, enquanto a missa era celebrada no salão do Paço Municipal, até que, em 31/12/1892, fosse transferido o Santíssimo Sacramento para a nova igreja.
As obras prosseguiram lentamente, por um decênio, especialmente na parte interna.
Um dia após a bênção solene do cemitério católico, Dom Cláudio José Gonçalves Ponce de Leão consagrou a igreja matriz, em 24/12/1903, marcando o 3º domingo de outubro para a celebração do aniversário desta sagração. Por esta razão, a igreja foi elevada à categoria de santuário, em pleno centenário em 2003.







Paróquia Santo Antônio Paróquia Santo Antônio Paróquia Santo Antônio Paróquia Santo Antônio Paróquia Santo Antônio Paróquia Santo Antônio Paróquia Santo Antônio Paróquia Santo Antônio Paróquia Santo Antônio



Fotos: Acervo digital do site www.nossadica.com.br
Fonte: Dicionário de Estrela, de José Alfredo Schierholt



Nossa História

08/06/2013 - Rua Chachá Pereira




Preservado os traços originais da mureta do belvedere da ChaChá Pereira




Belvedere - Ponto de referência turística e de beleza natural em Estrela, na barranca do rio, Rua Chachá Pereira.

Chachá Pereira - Nome incompleto de importante rua no centro de Estrela, com cinco quadras, onde se encontra o Belvedere.
De 1882 a 1899, denominava-se Rua Boa Vista.
O nome é para lembrar Antônio Carlos Chachá Pereira, capitão das forças castilhistas na Revolução Federalista.


Rua Chachá Pereira Rua Chachá Pereira Rua Chachá Pereira Rua Chachá Pereira Rua Chachá Pereira



Está quase pronto a mureta junto a escadaria de acesso ao rio Taquari na rua ChaChá Pereira.
Como se pode observar a Administração Municipal optou por preservar os traçados originas da mureta reconstituida.


Foto 1: João André Mallmann
Fotos 2 e 3: Acervo digital do site www.nossadica.com.br
Fonte: Dicionário de Estrela, de José Alfredo Schierholt



Nossa História

05/06/2013 - Data comemorativa de amanhã 06/06




Em 06/06/1931 era inaugurado o Hotel Liberal




Hotel Liberal



Hotel Liberal - Estabelecimento hoteleiro em Estrela, instalado na antiga clínica do Dr. Emílio Welke, atual Casa de Cultura.
Foi inaugurado em 06/06/1931, sendo Carlos Adão Diefenthaeler o proprietário.
Em 11/02/1933, estava à venda sua existência.



Nossa História

03/06/2013 - Data comemorativa de amanhã 04/06




Em 04/06/1932 era inaugurado a empresa de Trajano de Castro e Júlio Tarter, arrematantes da barca




Passo de Estrela Passo de Estrela Passo de Estrela


Passo - Passagem por um rio ou arroio em linha divisória do município.
Passo de Estrela – Povoado que fica defronte à cidade de Estrela, na margem direita do Taquari, atual território de Cruzeiro do Sul.
A capela tem Nossa Senhora de Fátima como padroeira.
O ponto mais próximo para ligar os perímetros urbanos de Estrela, Cruzeiro do Sul e Lajeado.
Além do passo para a barca, já foi porto de embarque, com armazéns, trapiche e hotel.
Para os estrelenses, por décadas o Passo foi muito importante.
Vários barqueiros e empresas prestaram serviços de passagem, através de barcas.


Passo de Estrela Passo de Estrela Passo de Estrela



Talvez de notável destaque tenha sido a empresa de Trajano de Castro e Júlio Tarter, arrematantes da barca, inaugurada em 04/06/1932.
Tinha a capacidade para transportar, de cada vez, 6 autos, possuindo um banco para as pessoas que dela se utilizarem - conforme O Paladino, de 11/06/1932.
A lancha tinha dois motores e os pontões de ferro mediam 14 metros de comprimento cada um.

Jacó Arnt, ao fundar em Taquari, em 1875, a Companhia de Navegação Rápida do Alto Taquari, origem da poderosa Companhia Navegação Arnt.
Com 22 anos de idade, Jacó Arnt, de carroceiro em Teutônia, adquiriu, com 10 colegas, o velho vapor “Flecha”, rebatizando-o, após onerosa reforma, com o nome de “Taquari”.
Quase nonagenário, 66 anos depois, Jacó administrava uma frota de 60 embarcações, das quais 10 vapores, de 12 a 45 toneladas.
Transportavam, na média, 2.000 toneladas de cargas e 10 mil passageiros por mês e umas 100 mil malas postais por ano, segundo dados de Wolfgang Hoffmann Harnisch.


Passo de Estrela Passo de Estrela Passo de Estrela



As agências das principais empresas de transporte construíram no porto de Estrela grandes armazéns, trapiches e maxambombas. Como a barranca do rio atingia, por vezes, de 12 a 15 metros, até chegar no convés da embarcação, foi criado um mecanismo próprio, registrado nos dicionários como maxambomba, característica do Vale do Taquari.
Era constituída de dois troles ou pequenos vagões descobertos, montados sobre trilhos estendidos de alto a baixo, empuxados através de espia de aço em torno de um cilindro de madeira, movido à tração animal, em forma circular, como as moendas de cana.
Enquanto um vagão subia, outro descia, para carga e descarga. Entre os trilhos havia uma escadaria para os pedestres e passageiros. No porto de Lajeado chegou a funcionar cinco maxambombas, cujas ruínas ainda se encontram sob as águas represadas do rio.
Dados estatísticos de 1911 revelam que nos portos de Estrela e Lajeado estavam se movimentando 8 vapores, 10 gasolinas, 5 lanchões, 10 lanchas e chatas, 30 botes e batelões, sem contar dezenas de canoas.
O semanário local O Alto Taquary, de 01/01/1905, anunciava a viagem do “Taquari”, sob o comando de Luís Jaeger, todas as terças-feiras, quintas-feiras e sábados, entre Lajeado e Porto Alegre, com saída às 7h30min.
O “Monarca”, comandado por João Job Filho, ligava Lajeado e Estrela ao porto de Mariante, nas quartas-feiras e sábados. O “Rio Taquari”, timoneado por Augusto Jaeger, fazia o transporte entre Porto Alegre e Estrela-Lajeado.
O mesmo percurso era feito pelo “Caçador”, pilotado por Leopoldo Jacó Arnt.
Várias vezes ocorriam acidentes graves no rio Taquari, como noticiou O Alto Taquary, de 22/01/1905, ao se quebrar o vapor "Colônia e Meia", da firma Ruschel, & Irmão, na famosa Cachoeira do Ouro. Perdeu toda a carga de banha e demais produtos coloniais.
O relatório estatístico municipal, de 1911, informa que Estrela-Lajeado tinha comunicação rápida por via fluvial, através da Companhia Navegação Arnt, com os vapores “Taquari”, “Brasil”, “Taquara”, “Rio Grande do Sul” e outros, e da Companhia Jaeger, com os vapores “Boa Vista”, “Rio Taquari I”, “Rio Taquari II” e outros.
Com sede em Taquari, filial em Porto Alegre, no Armazém C 1, junto ao Mercado Público e Palácio do Comércio, a Navegação Arnt tinha sua agência também em Estrela. O prédio da agência em Lajeado, hoje, está abrigando a empresa Marquardt Scherer SA Comércio, Indústria e Agricultura.
Em Estrela, a empresa de transporte pluvial Fava, Rosa & Cia. estabeleceu na barranca do rio Taquari o Trapiche Oriental, como agência da Navegação Liberdade e da Standard Oil Co. of Brazil.
Segundo anúncio em O Paladino, de 07/09/1921, tinha anexo um Armazém de Secos e Molhados, com compras de produtos do país e vendiam a afamada gasolina “Metano” e querosene Brindila.
O cais do antigo Porto de Estrela foi inaugurado em 15/10/1924.
Era uma obra de arte, o mais belo porto da região.
A hora de embarque e desembarque de passageiros, a área portuária era movimentada.
Ao seu lado, estava o cais do porto privado da empresa H. Fett Irmão & Cia. - Exportadores Industriais - Refinação da banha "Neblina" e fabricantes da manteiga "Jockey" e "Preciosa".
A Fábrica de Sabão, de Jacó Herrmann Filho & José Costa, também tinha o seu trapiche próprio.

Mais acima, no bairro Oriental, estava o porto particular da Companhia Navegação Liberdade, de Pedro Izírio & Cia. Ltda.


Passo de Estrela Passo de Estrela Passo de Estrela Passo de Estrela Passo de Estrela


Imagens do acervo digital do site www.nossadica.com.br
Texto: Livro ESTRELA ONTEM E HOJE de José Alfredo Schierholt



Nossa História

01/06/2013 - Data comemorativa de amanhã 02/06




Em 02/06/1982 era fundado a Associação dos Estrelenses de Porto Alegre - Aepa




Associação dos Estrelenses de Porto Alegre - Aepa - A entidade congrega moradores em Porto Alegre originários de Estrela, fundada em 02/06/1982.
Segundo o estatuto aprovado na assembléia de 13/08/1984, é uma entidade sem fins lucrativos, com objetivos precípuos de cultura, assistência e recreação, congregando pessoas nascidas no município de Estrela ou que mantém com aquela cidade vínculos afetivos.
Incentiva a confraternização e a aproximação entre os filhos de Estrela, seus descendentes e familiares, bem como todos os amigos daquele município, residentes nesta capital e na Grande Porto Alegre.
Seu idealizador foi Nilo Ruschel.
Mais de 500 pessoas mantém contato com a entidade e participam de eventos e se atualizam através de boletins circulares.



Nossa História

30/05/2013 - Data comemorativa de amanhã 31/05




Em 31/05/1991 o prefeito Leonildo José Mariani denominava de Manuel Ribeiro Pontes Filho à "Ponte Baixa"




Manuel Ribeiro Pontes Filho – Nome da ponte sobre o Arroio Estrela que dá acesso ao centro da cidade, pelas ruas Joaquim Nabuco e Tiradentes, conhecida por Ponte Velha, Ponte do Oriental, Ponte de Pedra e Ponte Velha do Oriental.
A denominação oficial foi dada pela Lei n.º 2.212, de 31/05/1991, pelo prefeito Leonildo José Mariani. V. Pontes Filho.

Ponte Manuel Ribeiro Pontes Filho Ponte Manuel Ribeiro Pontes Filho Ponte Manuel Ribeiro Pontes Filho Ponte Manuel Ribeiro Pontes Filho Ponte Manuel Ribeiro Pontes Filho Ponte Manuel Ribeiro Pontes Filho Ponte Manuel Ribeiro Pontes Filho Ponte Manuel Ribeiro Pontes Filho Ponte Manuel Ribeiro Pontes Filho


Imagens gentilmente cedidas por Ana Marli Sieben




Em 31/05/1991 o prefeito Leonildo José Mariani denominava de Prefeito Adão Henrique Fett à "Ponte Alta"




Prefeito Adão Henrique Fett – Nome da ponte sobre o Arroio Estrela, com acesso ao Bairro Centro pela Av. Rio Branco e Coronel Müssnich.
Já foi apelidada de Ponte Nova, Ponte Alta e Ponte Nova do Oriental.
A denominação oficial foi dada pela Lei n.º 2.212, de 31/05/1991, assinada pelo prefeito Leonildo José Mariani.


Prefeito Adão Henrique Fett Prefeito Adão Henrique Fett


As imagens acima mostram a ponte nos dias atuais e a ponte no ato de sua inauguração



Nossa História

28/05/2013 - Data comemorativa de amanhã 29/05




Em 29/05/1981 era fundado a Sociedade de Água Santa Rita




Sociedade de Água Santa Rita – Fundada em 29/05/1981, foi registrada no Cartório de Estrela, em 24/01/1990, tendo como presidente Lécio Antônio Gregory.
Com a mesma denominação, houve nova fundação, em 02/06/1993, e registro em 17/03/1994, sendo presidente Albano Werle e vice-presidente Arnaldo Eidelwein.
As duas sociedades tinham o mesmo objetivo da distribuição de água potável aos moradores da Linha Santa Rita.



Nossa História

25/05/2013 - Data comemorativa de amanhã 26/05




Em 26/05/1907 era fundado a Sociedade Ginástica Estrela - Soges



SOGES




Sociedade Ginástica Estrela - Soges – Fundado como Turnverein Estrela, em 26/05/1907, nos salões do Hotel Bentz, nos moldes do Deutscher Turnverein de Porto Alegre, fundado em agosto de 1867, hoje Sogipa.
A Soges teve 10 jovens sócios fundadores: Alberto Dexheimer (presidente), Artur Francisco Preussler (vicepresidentee ginasta), Filipe Leopoldo Dexheimer (1º secretário), Clemente A. Ruschel (2º secretário), Conrado Hemb (tesoureiro), Walter N. Bernhardt (guardaesportes), Adolfo Gonçalves, Alfredo Goulart, Cristiano Oscar Goedtel e Rodolfo Bernhardt.
João Carlos Harres estava presente na reunião, como forasteiro.
Por isso, não está relacionado no Álbum Comemorativo do Cinqüentenário do Município de Estrela, cuja omissão foi repetida pelos historiadores.
A omissão se deve ao fato de não ter participado de reuniões posteriores, nem ter contribuído, jamais, como associado.
Nos 50 anos da Soges, pretendeu festejar sua inclusão como membro fundador, mas não foi reconhecido como tal.
Os estatutos foram registrados no Cartório de Estrela, em 03/06/1911.
O objetivo era desenvolver as capacidades físicas e morais dos seus associados, por meio da ginástica, atletismo e outros ramos esportivos.
A pedra fundamental do prédio foi lançada em 15/08/1915, inaugurado em 11/11/1916.
Várias alterações e aumentos foram feitos no prédio.
No alto do prédio também constava o logotipo característico das sociedades congêneres, baseado nos quatro efes, em forma de cruz grega: frisch (jovial), fromm (bem comportado), fröhlig (alegre) e frei (livre), a divisa dos seus associados.
Lothar Hessel lamentou a destruição do belo pórtico que os alegres jovens de 1907 idealizaram para satisfação sua e das gerações seguintes.
Seu presidente, em 1941 era Alberto Dexheimer.
Em 30/03/1942, com a alteração estatutária, houve a fusão com a Sociedade dos Intrometidos.
Em 16/07/1945, nova mudança dos estatutos alterou a denominação para Clube Comercial de Estrela.
Em 1951, quando presidente José Moesch, mudou para Sociedade Ginástica Estrela.



SOGES SOGES SOGES



24/05/2013 - Noll & Cia. - Empresa industrial e comercial de Estrela, fundada em 1915




Imagens do século passado

Nossa História
Noll & Cia. - Empresa industrial e comercial de Estrela, fundada em 1915, com Fábrica de torrar e moer café - Depósito de madeiras - Depósito de molhados da firma Fraeb & Cia.
Com marca registrada Soberbo - A farinha argentina marca "Soberbo" é a mais preferida - conforme a revista publicitária das Olimpíadas de ginástica em Estrela, de 1927.


As imagens abeixo mostram a empresa na rua Tiradentes ontem e o mesmo prédio hoje.

Noll & Cia Noll & Cia


Imagens do acervo digital do site www.nossadica.com.br



24/05/2013 - Há 50 anos Sérgio Leopoldo Horn sagrava-se campeão de ciclismo em Estrela




Imagens do século passado

Nossa História

As fotos abaixo contam a história deste campeão de ciclismo que levou o nome de Estrela no peito.


Sérgio Leopoldo Horn Sérgio Leopoldo Horn Sérgio Leopoldo Horn Sérgio Leopoldo Horn Sérgio Leopoldo Horn Sérgio Leopoldo Horn Sérgio Leopoldo Horn Sérgio Leopoldo Horn Sérgio Leopoldo Horn Sérgio Leopoldo Horn Sérgio Leopoldo Horn Sérgio Leopoldo Horn Sérgio Leopoldo Horn Sérgio Leopoldo Horn


Imagens do acervo digital do site www.nossadica.com.br



Clik


24/05/2013 - Reforma do mirante trás surpresa




Conversando com Aurélia Horn (esposa de Paulinho Horn, ex-radialista da rádio Alto Taquari), moradora da rua Chá-Chá Pereira, junto a escadaria que dá acesso a balsa do rio Taquari, que faz a travessia Estrela/Cruzeiro do Sul, contou que, a árvore que aparece nestas fotos foi ela que plantou a 35 anos atrás.
Para a minha surpresa, A Sra. Aurélia contou que esta árvore foi uma doação da minha mãe, quando, ha 36 anos atrás ela e o Sr. Paulo Horn eram meus vizinhos, na rua Tiradentes, e esta é uma muda da árvore que ficava no meu pátio, e como ela gostava muito da sombra desta árvore ela pediu uma muda para aminha mãe.
No ano seguinte eles adquiriram a residência onde moram atualmente, foi quando então ela plantou esta árvore.


Escadaria de acesso ao rio Taquari Escadaria de acesso ao rio Taquari


Texto e fotos: João André Mallmann



Nossa História

24/05/2013 - Data comemorativa de amanhã 25/05




Em 25/05/1920 era inaugurado o Banco Pfeiffer S/A em Estrela




Banco Pfeiffer S/A – Fundado em Porto Alegre em 1919, sob a direção de Jorge Marcos de Azevedo Pfeiffer, a agência do Jorge Pfeiffer & Cia. – Casa Bancária em Estrela abriu em 25/05/1920, sendo agente André Marcolino Mallmann, conforme O Paladino, de 18/09/1921.
Na esquina das ruas Coronel Flores e Júlio de Castilhos, o novo prédio foi inaugurado em 15/10/1924, quando assumiu a gerência Ernestino Leopoldo Lautert, substituindo André Marcolino Mallmann, empossado intendente na mesma data.
O prédio vistoso, na Rua Coronel Flores, foi concluído em fins de 1924.
Em 1926, passou à categoria de agência.
Em 1929, foi transformado em sociedade anônima, passando a denominação de Casa Bancária Jorge Pfeifer & Cia. para Banco Pfeiffer S.A.
Na assembléia de acionistas de 1942 passou a denominar-se Banco Industrial e Comercial do Sul S. A., um dos três integrantes do Banco Sul-Brasileiro S. A., formado em 1972.


Banco Pfeiffer S/A




Em 25/05/1876 era fundado a Sociedade Santa Cecília de Estrela




Sociedade Santa Cecília de Estrela – Fundada em 25/05/1876, com a denominação Cäcilien Verein Estrella, só foi registrada no Cartório de Estrela, em 24/11/1967, quando era presidente André Scheibel. Seu objetivo ainda é o desenvolvimento da cultura musical sacra e profana, com sede na cidade de Estrela.
Provavelmente, é a sociedade mais antiga em atividade, desde a fundação.
Está filiada à Liga de Corais de Estrela.

A Sociedade Santa Cecília
Em 25 de abril de 1876, setenta e dois paroquianos, juntamente com o vigário da
Freguesia de Santo Antônio da Estrela, o Pe. Francisco Schleipen, criaram a Sociedade Santa
Cecília, a Cäcilien Verein Estrella.

A Cäcilien Verein Estrella ou Sociedade Santa Cecília da Comunidade Católica de Estrela, fundada em 25/05/1876, quando Estrela ainda pertencia a Taquari.
Segundo pesquisa feita por Leônidas Erthal, naquela data, 72 paroquianos, juntamente com o pároco, Pe. Francisco Schleipen, fundaram a Sociedade Santa Cecília, cujo motivo fundamental era o coral, nos moldes dos Corais Cicilianos Universais, fundados com a permissão dos bispos alemães, principalmente para “incrementar um canto digno de igreja, para a maior honra de Deus e a misericórdia dos crentes”.
Assim reza o primeiro artigo dos estatutos, originais manuscritos em língua alemã, de letra gótica.
O estatuto original continha só treze artigos e foi assinado pelos 72 sócios fundadores: David Scheeren, Anton Scheeren, Matias Becker, Henrique Teodoro Rohenkohl, Heinrich Wenningkamp, Matias Schott, Pedro Gabriel, João Mallmann Filho, Jacó Steffen, Jacó Eckert, Jorge Marmitt, Pedro Ruschel, José Ruwer, Filipe Knecht, Pedro Paulo Eckert, Pedro Friedrich, Pedro Horn, João Heberle Filho, José Mallmann, Frederico Mafrinz, Frederico Hauschild, Pedro Kollet, Nicolau Ruschel, Jacó Mallmann, Nicolau Heberle, Filipe Schossler, Matias Schütz, Paulo Schwertner, Matias Mallmann, Carlos Miguel Kroeff, João Eberardo Mallmann, Miguel Petter, Pedro Heberle, João Horn, Pedro Horn, Henrique Horn, Matias Ruschel, Daniel Mattes, Guilherme Heberle, Adão Massing, Jorge Tischer, Paulo Mallmann, Jacó Sewen, Adão Mallmann, Nicolaus Müssnich (pai), Matias Schuck, Pedro Ruschel Filho, Nicolau Müssnich (filho), Henrique Teodoro Rohenkohl (filho),Frederico Gerhardt, Estêvão Fell, Miguel Ruschel, Pedro Birck, João Bierck, Filipe Bra
un, Matias Ruschel, Miguel Klaus, José Thiesen, Valentin Petry, Henrique Schmitz, Francisco Dillenburg, Nicolau Petry, Cristiano Horn, João Portz, André Xavier Diel, Paulo Schneider, José Horn, Nicolau Müssnich, Adão Massing Filho, Henrique Horn, João Gerhardt e João Kern. Como se pode observar no Dicionário, alguns sócios fundadores, cantores, ainda eram meninos.
A nominata dos sócios fundadores indica, ainda, os pioneiros da Paróquia e do próprio Município de Estrela, da sua parte católica.
Sujeita às leis canônicas, a presidência cabia sempre ao pároco.
A primeira diretoria estava composta pelo Pe. Francisco Steinhardt como presidente, David Scheeren como secretário e Pedro Friedrich, tesoureiro.



Fico feliz ao ver que foi o meu avô André Scheibel quem registrou a Sociedade Santa Cecília da Comunidade Católica de Estrela no Cartório de Estrela, em 24/11/1967, quando era presidente da mesma.



Nossa História

22/05/2013 - Data comemorativa de amanhã 23/05




Em 23/05/2002 era inaugurado as estátuas de Chuck & Ruth




Inaugurados em 23/05/2002, os mascotes Chuck & Ruth, junto ao trevo da cidade, formam a palavra Chucrute.


Chuck & Ruth Chuck & Ruth



Nossa História

22/05/2013 - Data comemorativa de hoje 22/05




Em 22/05/1990 era fundado a Associação dos Moradores do Bairro Auxiliadora




Associação dos Moradores do Bairro Auxiliadora - Amba – Fundada em 22/05/1990, foi registrada em 09/11/1990, tendo por objetivo o desenvolvimento e o bemestar social do bairro, bem como proporcionar aos associados atividades cívicas, recreativas, culturais e assistenciais.



21/05/2013 - Há 100 anos era registrado casamento no "Morro dos Horn"




Imagens do século passado


Família Horn

Nossa História

A foto acima, segundo Sérgio Horn, foi tirada há cem anos atrás junto ao "Morro dos Horn", hoje bairro Cristo Rei.
A foto mostra o casamento do pai e da mãe de Maria Ofélia Moesch.
Segundo Sérgio, na foto aparcem 92 pessoas, dentre elas, mais a esquerda, em primeiro plano, está Felipe Beno Horn, pai de Sergio Horn.
Na frente da casa aparece uma plantação de alfafa.
A casa, conta Sérgio, tem paredes com mais de meio metro de largura e a sua irmã mais velha, Sélia Francisca Horn, mora na casa.
Hoje a casa esta bastante escondida pelo matagal que cerca a casa.
Sérgio lembra que no Bairo Cristo Rei daquela época não havia outra casa além desta, e que mais tarde surgiu um campo de futebol entre a casa e a rua Júlio de Castilhos, defronte a Escola EEEPE (na época Ginásio Estrela da Manhã).
Conta também que para vir a missa, na igreja Santo Antônio, era necessário passar por uma pinguela que atravessava um córrego onde hoje tem o Parque Princesa do Vale, mais precisamente onde hoje tem a lagoa artificial.


Família Horn Família Horn Família Horn Família Horn


Fotos: João André Mallmann
Igagem do Google Maps mostra o Bairro Cristo Rei
Fotos de Sérgio Horn junto a rua João Horn, defronte a casa que aparece na foto antiga.



Nossa História

21/05/2013 - Datas comemorativas de hoje 21/05




Em 21/05/1988 era inaugurado o monumento em homenagem a Antônio Vítor de Sampaio Mena Barreto




Antônio Vítor de Sampaio Mena Barreto – Nome da praça principal em Estrela, defronte à igreja matriz e prefeitura municipal, em solenidade realizada em 21/05/1988, sendo inaugurado o monumento em sua homenagem.
O projeto foi de inspiração de Lothar F. Hessel, apoiada pela Associação dos Estrelenses de Porto Alegre.
Não há documento que comprove a data da abertura da praça.
A área foi destinada para isso pelo fundador da cidade, lá por 1872. No início, foi um descampado.
Seu planejamento e arborização vieram no decorrer dos anos.
Desde 1882, a praça denominava-se Praça Santo Antônio, alterado para Praça Benjamin Constant (v.), em 1899.
O homenageado é o fundador da cidade de Estrela e de Linha Glória. * 12/06/1825, em Porto Alegre, f. José Luís Mena Barreto (* Rio Pardo) e Ana Emília de Sampaio Ribeiro (* Portugal), cc 19/07/1851, com Maria (de Jesus) Januária Fagundes Mena Barreto, nascida em Bagé, f. tenente Felisberto Fagundes de Souza e Reginalda Cândida Ribeiro Fagundes.
Em 19-7-1851 casou-se com Maria Januária Fagundes Mena Barreto, ampliando-se o patrimônio do casal, adquirindo também uma fazenda que deu o nome de Fazenda da Glória.
A denominação se deve à alegria de ter nascido a primogênita dos seus 13 filhos: Maria da Glória, mais conhecida por Glória.
Os demais filhos foram: Corina, Felisberto (v.), Antônio Vítor (v.), José Luís (v.), João de Deus, Vítor João Rodrigues, Rafael, João Sabino (V.), Filipe Neri, Ana Emília, Lídia e um filho falecido antes de 1891.
Construído o sobrado na sede de sua Fazenda da Estrela, em 1861 lá veio se estabelecer.
Na lista de eleitores da Paróquia de Taquari, elaborada em 18/01/1864, consta como eleitor número 5, com 39 anos de idade, de profissão militar, residente no primeiro quarteirão.
Ao estourar a Guerra do Paraguai, ainda em 1865 foi engajado nas forças brasileiras, conquistou no Paraguai o posto de coronel.
Membro da primeira Comissão da Capela de Santo Antônio, encarregado da construção da igreja matriz, em março de 1873, doando também a área para o Cemitério Católico, em 1877.
De 07/01/1873 a 07/01/1877, foi vereador em Taquari. Depois, mudou-se para Porto Alegre. Coronel e comandante da Guarda Nacional (v.), foi proprietário do vapor Estrela, que navegava, depois de aberto o canal, em 1860, até atingir São Gabriel, pelo Vacacaí. Faleceu em 17/10/1891, em Porto Alegre.


Homenagem a Antônio Vítor de Sampaio Mena Barreto



Imagem do acervo digital do site nossadica
Texto extraido do Dicionário de Estrela de José Alfredo Schierholt



20/05/2013 - 137 anos de Estrela




Nossa História

Imagens do século passado


A menina sentada na estrada brincando com as bonecas é Sonja Maria Lauer.
A foto é de 1954 e mostra as esquinas das ruas XV de Novembro e JÚlio de Castilhos.
Na esquina a esquerda da foto hoje se situa o edifício Germânia.


Sonja Maria Lauer


Foto gentilmente cedida ao acervo digital do site nossadica pela Senhora Nelly Lenhard



20/05/2013 - 137 anos de Estrela




Nossa História

Imagens do século passado

Na primeira foto abaixo aparece Hugo Antônio Müssnich em 1948 junto a rua Júlio de Castilhos.
Na segunda foto aparece Hugo Antônio Müssnich em 1949 também na rua Júlio de Castilhos.
Note que ao fundo aparece as torres da igreja Católica Santo Antônio.


Hugo Antônio Müssnich Hugo Antônio Müssnich


Fotos gentilmente cedidas ao acervo digital do site nossadica pela Senhora Sônia Müssnich



Nossa História

20/05/2013 - Datas comemorativas de hoje 20/05




Em 20/05/2005 era inaugurado o Batalhão de Policiamento Ambiental (BPA) do Vale do Taquari




Batalhão de Policiamento Ambiental (BPA) do Vale do Taquari – Agrupamento militar montado em 1991, com sede própria em Estrela, na Av. Augusto Frederico Markus, 280, Bairro das Indústrias.
A sede foi inaugurada em 20/05/2005.
Atua no controle dos crimes e danos ambientais contra a flora, fauna, pesca, extração mineral, bem como a poluição em todas as suas formas.
Além da repressão, faz um trabalho de prevenção, através de palestras e exposições.
Sob o comando do sargento Anestor José de Moura, mais três soldados atendem a área de 40 municípios da região, dispondo de uma viatura e uma lancha.
Trabalha em parceria com a própria Brigada Militar, Ministério Público, Departamento de Florestas e Áreas Protegidas (Defap), Ibama, Fepam e organizações não-governamentais ligadas à preservação do meio ambiente.



Em 20/05/1963 era inaugurado a Biblioteca Pública Municipal




Biblioteca Pública Municipal - Aprovada pela Resolução n.º 5/60, foi criada pela Lei 564, de 05/02/1960, assinada pelo Prefeito Bertoldo Gausmann.
Destinou logo uma verba de Cr$ 20.000,00 para a compra de livros.
Foi inaugurada em 20/05/1963.
Seu primeiro espaço, estava nas antigas dependências do vetusto Colégio Elementar 7 de Setembro.



Em 20/05/1968 era inaugurado a Escola Municipal de Educação Infantil Casa da Criança Estrelense




Escola Municipal de Educação Infantil Casa da Criança Estrelense - Educandário infantil em Estrela, Rua Júlio de Castilhos, 1456.
O prédio foi doado pelo governo da Áustria, através do Österreichisches Lateinamerika-Institut, sendo inaugurado dia 20/05/1968.
No prédio funcionava, até 1981, o Curso Primário de Aplicação Estrela da Manhã.



Em 20/05/1876 era assinada a lei que criou o Município de Estrela




Vinte (ou 20) de Maio - Nome de rua, conforme Lei nº 211, de 26/02/1953, no Alto da Bronze, em Estrela, para lembrar a data de 20/05/1876, ao ser assinada a lei que criou o Município de Estrela.
A data foi declarada como feriado municipal, pela primeira vez, em 20/05/1917, pelo intendente Manuel Pontes Filho, pela Resolução nº 16.
A rua 20 de Maio realiza sua festa desde 1982 de forma ininterrupta.


Rua 20 de Maio Rua 20 de Maio

Na foto a "Boneca Viva" da Festa realizada em 1989, junto ao Estrela Palace Hotel, e que mostra Michele Görgen juntamente com seus pais José Luiz Görgen e Ornélia Lucia Görgen.
Michele hoje tem 30 anos de idade e veio de Garibaldi especialmente para participar dos festejos da rua 20 de Maio ocorrido neste domingo (19/05).



Abaixo algumas fotos deste período de 31 anos de festa.
Rua 20 de Maio Rua 20 de Maio Rua 20 de Maio Rua 20 de Maio Rua 20 de Maio Rua 20 de Maio Rua 20 de Maio Rua 20 de Maio Rua 20 de Maio Rua 20 de Maio Rua 20 de Maio



18/05/2013 - Empresa Leindecker
Uma Pioneira no transporte coletivo no Alto Taquari




Nossa História

As fotos são da Empresa Leindecker que fazia o trajeto Estrela/Maratá/Salvador do Sul/Porto Alegre, em combinação com a RFRGS.


"Segundo o que sei a empresa Leindecker foi adquirida ou assumida pela empresa que posteriormente seria a atual Expresso Azul".
José Francisco Hauschild (KiKo).


Empresa Leindecker – Empresa de transporte coletivo em Estrela, de Olímpio Leindecker, com linha diária de ônibus em Lajeado, Estrela e Maratá, em combinação com a V. F. R. G. S. da linha de trem de Caxias para Porto Alegre - cf O Paladino, de 08/11/1941.

Leindecker, Olímpio H. J. – Empresário comercial em Estrela.
Seus ônibus combinavam o horário da linha Bom Retiro do Sul – Muçum com a linha de trem Caxias do Sul – Porto Alegre, no Maratá. V. Empresa Leindecker.
* 03/11/-1907, + 12/05/1975, sepultado no Cemitério Católico de Estrela.


Empresa Leindecker Empresa Leindecker Empresa Leindecker Empresa Leindecker Empresa Leindecker


Transporte coletivo

O Correio do Povo, de 6-4-1980, p. 20, fez referências ao pioneirismo do transporte coletivo no Vale do Taquari.
Tratava-se de uma linha regular entre Estrela, Santa Rosa, Três de Maio e Panambi, com duração média de 3 dias. O dono do veículo foi Augusto Michel, em 20-2-1925, com seu Ford, modelo T.
Friedholdo Eidelwein, o mais antigo dos empresários de transporte coletivo nesta região - é o que consta em O Paladino, de 9-12-1939, ao noticiar um novo serviço de real valor e grande utilidade.
Trata-se de uma linha para a nossa e a vizinha cidade de Lajeado, inaugurada em 1º de dezembro de 1939, tendo sido posta em tráfego uma unida "Ford V-8", completamente fechada e muito bem construída.
A referida linha é feita 5 vezes por dia. O horário: 7h30min - 9h30min - 13h - 14h30min e 16h30min.
Observe-se a rapidez do regresso, feito em 45 minutos depois, isto é, saindo de Lajeado às 8h15min - 11h15min - 13h45min - 15h15min e 18h.
Na época, o Taquari era atravessado só pela balsa.
Restringindo-nos aos primeiros anos, na falta de outras fontes de pesquisa, algumas empresas e linhas de transporte coletivo podem ser aqui resgatadas.
Fundada em 06/02/1928, percorrendo a vila de Estrela com um de seus carros da nova Empresa Moraes, Chiarelli & Cia., de Lajeado, iniciou o transporte coletivo entre Estrela e Lajeado, cf O Paladino, de 11/02/1928.
Alterada a denominação, a empresa Morais, Mayer & Cia. deu a notícia no jornal O Imparcial, de 12-7-1930, com nova linha de omnibus, linha direta de Lajeado, Estrela e São Gabriel, hoje Cruzeiro do Sul, a iniciar dois dias depois. Para isso, dispõe de um excelente caminhão “Chevrolet”, comodamente instalado, com bons acentos e bom espaço. Oferecia dois horários, de manhã e de tarde, ida e volta.
Nos dias santos, feriados e domingos não tem horário – correrá a toda hora, segundo anúncio no mesmo semanário, de 15/11/1930.
Numa revista publicitária dos jogos olímpicos em Estrela, em 1936, estava o anúncio da Linha de Ônibus de Sehn & Ranck - Estrela - Linhas diárias de transporte de passageiros, correio e encomendas, em combinação com os vapores noturnos entre Bom Retiro, Estrela, Roca Sales, Encantado, Muçum e Guaporé. O "vapor noturno" para Guaporé ainda é um grande mistério...
A mesma revista, igualmente, divulga a Linha de Ônibus de Estrela a Maratá - Horário: saídas de Estrela, todas as segundas, quartas e sextas-feiras, às 6 horas da manhã. Regresso de Maratá, após a chegada dos trens - Brevemente: tráfego diário - Proprietário: Olímpio Leindecker.
No mesmo período, a empresa Heinz, Lohmann & Cia. mantinha a Linha de ônibus Estação Maratá a Concórdia - Saídas de Maratá, todas as segundas e quintas-feiras às 5h da manhã - O itinerário é o seguinte: Maratá (Hotel Hahn), Poço das Antas, Pinheiro Machado (Languiru), Estrela (Hotel Stein), Lajeado (Hotel Kieling), Corvo (Hotel Corbellini), Roca Sales, Picão (Carlos Cancelli), Muçum (Hotel Scarpi), Dois Lajeados (Hotel Dois Lajeados), Guaporé, Casca, Vila Maria, Marau, Passo Fundo, pernoitando no Hotel Roma, seguindo por Coxilha, Sertão, Getúlio Vargas, Erechim, Barro, Viadutos, Marcelino Ramos (Hotel Boa Vista), por Santa Catarina. Bela Vista, Veados (Irmãos Poy), Rancho Grande (Schwambach), Vila Concórdia (Hotel Kohte) - Nova Germânia (Beno Stürmer) - A viagem de regresso é iniciada segunda e quinta-feira - em confortabilíssimo ônibus Ford V-8, que dispõe de um bom rádio ) - cf O Paladino, de 06/03/1937.
O percurso Estrela - Carazinho era feito pela empresa de Alberto J. Fischer, com saídas de Estrela todas as segundas-feiras às 7h horas, passando pelas seguintes localidades: Lajeado, Costão, Corvo, Roca Sales, Encantado, Burro Feio, Anta Gorda, Ilópolis, Gramadinho, Alta Figueira, Soledade, Espumoso, Teutônia, Tapera, Lagoa Três Cantos, Não-Me-Toque, Carazinho, terminando no Hotel Scherer - O ônibus regressará de Carazinho todas as quartas-feiras, às 7h30min (depois da chegada do trem de Passo Fundo) - cf O Paladino, de 06/03/1937.
A Empresa Alto Taquari Ltda. organizou uma linha de ônibus entre Estrela e Porto Alegre, diariamente, com saídas às 6 h, e chegadas entre 11h30min e 12h, simultaneamente.
A partida da cidade de Encantado dar-se-á às 4,30 horas, saindo o ônibus de Porto Alegre às 5,30.
Os ônibus encontrar-se-ão na metade do trajeto - cf O Paladino, de 07/10/1939. A primeira viagem foi em 09/10/1939.
A mesma Empresa Alto Taquari Ltda. publicou um anúncio n’ O Paladino, de 18/01/1941, oferecendo ao público uma linha de ônibus Estrela - Passo Fundo, com saídas de Estrela: domingos, terças e quintas-feiras, às 8 horas – Saídas de Passo Fundo segundas, quartas e sextas às 6 horas – Passageiros de Lajeado, Arroio do Meio e Encantado terão combinação com as empresas Irmãos Mayer e Fontana.
No mesmo semanário estrelense, de 08/11/1941, Olímpio Leindeker, diretor da Empresa Leindecker, anunciava viagens diárias entre Lajeado, Estrela e Maratá, em combinação com a V. F. R. G. S. da linha de trem de Caxias para Porto Alegre.
Depois que a linha de ônibus entre Porto Alegre e a região foi monopolizada, o transporte coletivo melhorou, sob alguns aspectos, e noutros, piorou, citando-se casos incríveis com ônibus lotado com 92 passageiros, mais precisamente 79 adultos e 13 crianças em 13-8-1966.



Imagens gentilmente cedidas por José Francisco Hauschild (KiKo).
Texto extraido do livro Estrela Ontem e Hoje de José Alfredo Schierholt



18/05/2013 - Nossa História resgata o Cinema em Estrela (Primeiros anos)




SOGES teve departamento Cinematográfico




Nossa História

A SOGES já tinha um Departamento Cinematográfico

Uma sala de exibição de filmes era um dos antigos desejos dos associados, a exemplo de outros clubes sociais.
Em 1928, foram adquiridas da firma Ruschel & Müssnich, pela quantia de 9:000$000, as instalações do cinema.
Os equipamentos foram aperfeiçoados em 1931, pagando-se 12:000$000 pelo aparelho sonoro.


Em 2 de maio de 1931, a diretoria da SOGES solicitou a empresas de Porto Alegre para a instalação de um cinema sincronizado.
Para esta finalidade, em 26/08/1931, chegou Augustinho Ubatuba, representante da Companhia Cinematográfica UFA em Estrela, entregando um orçamento para a diretoria da SOGES.
Alberto Dexheimer, dinâmico presidente da SOGES, seguiu para Porto Alegre, a fim de adquirir o aparelho sonoro de cinema - cf O Paladino, de 17/10/1931.
O equipamento foi instalado e inaugurado em 07/11/1931, com a projeção dos filmes Piratas de Meia Cara e Ébrios de Amor.


Maria Joas e Albino Müssnich

Maria Joas e Albino Müssnich animavam o cinema mudo na SOGES



Imagem gentilmente cedida por Sônia Müssnich
Texto extraido do livro Estrela Ontem e Hoje de José Alfredo Schierholt



Luiz Inácio Müssnich



18/05/2013 - Nossa História resgata Luiz Inácio Müssnich




Ha 45 anos, em maio de 1968, Estrela homenageava Luíz Inácio Müssnich




Nossa História

A praça situada ente as ruas Geraldo Pereira e Bruno Schwertner leva o nome de Luíz Inácio Müssnich
A homenagem foi feita em 1968, durante a administração de Adão Henrique Fett.


Luiz Inácio Müssnich, industrialista local, proprietário da importante Cervejaria Estrela, e Alfredo Edmundo Steyer, forte comerciante, estabelecido na Teutônia.



Casa comercial de Luís Inácio Müssnich, Kortz & Dexheimer
Kortz & Dexheimer, em Estrela, com Fábrica de licores e vinagres. Logo depois, a empresa partiu para a fabricação da cerveja.



Aurora



Uma das primeiras marcas de cerveja, produzida pela fábrica, na então rua Marechal Deodoro, 296, foi a Aurora – Cerveja tipo Bavária.
Em 1919, a Cervejaria passou a denominar-se Kortz, Dexheimer & Cia., sob a gerência de Luiz Inácio Müssnich.
Fritz ou Francisco Droll era o mestre ou o técnico da fábrica.
A marca mais conhecida foi a marca Estrella - cerveja tipo Pilsen.

O Paladino, de 10/05/1925, noticiou o lançamento da cerveja Estrella Stout.
Com destaque o Álbum Comemorativo do Cinqüentenário do Município de Estrela, de 1926, registra, na Rua Marechal Deodoro. 16, a Fábrica de Cerveja Estrella, que tinha anexa uma fábrica de gelo.
A Cervejaria Estrela alterou a razão social de Kortz, Dexheimer & Cia para a responsabilidade individual de Luís I. Müssnich, a partir de 01/01/1928.
Ele administrou a empresa até seu falecimento, em 1935, passando a administração para a viúva Amália Ruschel Müssnich, até 1946.



1º Cerveja Estrella Stout - marca da fábrica - Luiz I. Müssnich
2º Cerveja Preta typo München - Luiz I. Müssnich
3º Cerveja Creoulinha - Luiz I. Müssnich
A partir de 1935, sob a direção de Amália Ruschel Müssnich, o rótulo nº 4: Cerveja tipo Bock - fabricada pelo processo de resfriamento artificial com graduação alcoólica superior a 3.2% - Vva. Luiz I. Müssnich
5º Cerveja Estrela tipo Pilsen - Vva. Luiz I. Müssnich
6º Cerveja negra Zulu - Vv. Luiz I. Müssnich


Praça Luiz Inácio Müssnich Praça Luiz Inácio Müssnich Praça Luiz Inácio Müssnich Praça Luiz Inácio Müssnich



Luiz Inácio Müssnich – Nome de uma praça em Estrela, de forma triangular, localizada entre as ruas Geraldo Pereira, Carlos Matte e Padre Anchieta.
O primeiro prenome também deve ser aportuguesado para Luís, como foi feito com o segundo prenome, de Ignácio para Inácio.
A praça é obra de Adão Henrique Fett, para homenagear o empresário industrial, líder comunitário, primeiro suplente de juiz federal substituto de Estrela.
Alfabetizou-se na escola de seu pai, de quem também herdou o espírito de liderança.
Prestou compromisso do cargo perante o juiz seccional Dr. Pogi de Figueiredo, cf O Alto Taquary, de 01/03/1908.
No mesmo período, tinha uma empresa de máquinas, fundição de aço, ferro e metais.
Como sócio da empresa Dexheimer & Müssnich, instalando em Estrela a agência da Província, em 1910 assumiu a sua gerência.
Em 10/10/1912, associou-se à “Sociedade em Comandita Júlio Diehl & Cia.”, a origem da Cervejaria Polar.
Em junho de 1922, associou-se com Hans Wirz na construção da fábrica de Turbinas Hidráulicas H. Wirz & Cia., a quem foi vendendo sua parte e adquirindo mais ações da fábrica de cerveja.
Em 21/01/1925, foi pioneiro em Estrela na perfuração de um poço artesiano, necessário para a fábrica, fornecendo água para o Colégio Santo Antônio e a quem necessitava na época de estio.
Como sócio majoritário, a partir de 1927, adquiriu a Cervejaria Estrela, administrando-a até falecer.
Além das atividades profissionais, dedicava tempo para prestar serviços à comunidade.
Foi presidente do Tiro de Guerra 227, de 1917 até seu falecimento.
Cf O Paladino, de 22/11/1931, foi escolhido para integrar o Conselho Consultivo de Estrela, para assessorar a administração do prefeito Augusto Markus. *25/08/1883, em Estrela, + 11/10/1935, em Estrela, f. Nicolau Müssnich e Carolina Ruschel, cc Amália Ruschel, em 21/0901906, tendo 14 filhos: Helma Maria, Erna Maria, Lucina, Hugo, Gerda Marina, Arno, Ilka, Gastão Xavier, Luís Inácio, Edith, Teresinha, Maria de Lourdes, Carlos Ervino e Alfredo.



Fotos praça Luiz Inácio Müssnich: João André Mallmann
Texto extraido do livro Estrela Ontem e Hoje e Dicionário de Estrela, ambos de autoria de José Alfredo Schierholt



Ilmo Petter



15/05/2013 - Nossa História resgata Ilmo Petter




A imagen mostra o coroinha Ilmo Petter com 12 anos de idade




Nossa História

O amigo e ex-colega da POLAR S/A Ilmo Petter "Petinha" com 12 anos de idade era coroinha nas missas que eram realizadas diariamente as 7 horas na Igreja Matriz (Santo Antônio) e logo após ele participava, também como coroinha, às 8 horas no Colégio dos Irmãos Maristas (Cristo Rei).
Ilmo conta que as missas eram celebradas em latim e que os coroinhas deviam responder ao padre em latim.
Petinha hoje com 69 anos, mora na rua Joaquim Xavier, 103, bairro Centro.
Esta foto data de 1955, e, observem, que ao fundo aparece a Prefeitura antiga e o antigo Hotel Siepmann (hoje banco Bradesco).
Ilmo acredita que esta foto mostra a celebração de Corpus Christi.


Ilmo Petter

Ilmo Petter aparece em primeiro plano, ajoelhado
Imagem do acervo digital do site nossadica.



Nossa História

13/05/2013 - Data comemorativa de hoje




Imagens das festas da Rua 13 de Maio




Amortreze - Associação dos moradores da Rua 13 de Maio, em Estrela, que se confraternizam anualmente, desde 1965.

Associação dos moradores da Rua 13 de Maio

Treze (ou 13) de Maio - Rua, com cinco quadras, no centro de Estrela.
De 1882 a 1899, denominava-se Rua da Direita.
Seus moradores se organizaram na Associação Amortreze, confraternizando-se desde 1965, sob a liderança de Egon Diedrich.


Rua 13 de Maio Rua 13 de Maio Rua 13 de Maio Rua 13 de Maio Rua 13 de Maio Rua 13 de Maio Rua 13 de Maio




Em 13 de maio de 1979, na festa da Rua Treze, dentro da programação, às 9h foi entregue ao público o Monumento de Cascalhos, que serviu para marcar o aniversário do Município e também para lembrar a submersão do cascalho pela represa das águas do Taquari.
Os cascalhos foram transportados de Encantado até Estrela.
O presidente da Comissão de Festejos foi Clóvis Antônio Schwertner.

Rua 13 de Maio



Nossa História

05/05/2013 - Data comemorativa de amanhã, dia 06/05




Em 06/05/1963 era fundado o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Estrela




Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Estrela - Entidade sindical que reúne os agricultores de Estrela.
Nasceu da união, esforço e trabalho, desenvolvido pela Fetag, na assembléia de 06/05/1963, denominado Sindicato dos Pequenos Agricultores, sob a égide da Frente Agrária Gaúcha. Entre as lideranças estava o pastor Georg Lecke.
A diretoria provisória esteve assim formada: presidente Frontino Caye, secretário Waldemar Hilgemann e tesoureiro Virgílio Sulzbach.



Nossa História

04/05/2013 - Data comemorativa de amanhã, dia 05/05




Em 05/05/1979 era fundado a Associação dos Moradores do Bairro Cristo Rei




Associação dos Moradores do Bairro Cristo Rei - Fundada em 05/05/1979, foi registrada em 12/04/1982, sendo presidente Roque Arno Diehl, de caráter recreativo, associativo e de apoio administrativo junto à associação de bairros de Estrela e demais órgãos e entidades públicas na indicação de problemas e na reivindicação de soluções, com sede no Bairro Cristo Rei, em Estrela.



Nossa História

30/04/2013 - Data comemorativa de amanhã, dia 01/05




Em 01/05/1943 era fundado o Abrigo Municipal




Abrigo Municipal - Imóvel de alvenaria, construído pelo prefeito Dr. Cláudio de Toledo Mércio, inaugurado em 01/05/1943, defronte à Prefeitura, na Praça Benjamin Constant (hoje Praça Menna Barreto).
Além de estação rodoviária, serviu também para abrigar a ACIE, Associação Rural de Estrela e, depois, a Rádio Alto Taquari de Estrela.
O grande público dele se serviu como ponto de referência, bar, restaurante e barbearia.
Em torno de três décadas depois, foi demolido.


Abrigo Municipal




Em 01/05/1981 era fundado a Associação dos Jovens Estrelenses - Ajes




Associação dos Jovens Estrelenses - Ajes – Fundada em 01/05/1981, foi registrada em 21/10/1981, sendo presidente Flávio Ramos Lopes, com o objetivo de promover recreação cultural dos jovens estrelenses, com sede no bairro Boa União, em Estrela.
Com o objetivo de desenvolver o espírito esportivo em crianças e adolescentes, de 7 a 15 anos, a associação fundou, em 14/01/1983, a Escolinha da Ajes, na Cohab I, bairro Boa União.




Em 01/05/1977 era fundado o Clube de Patinação de Estrela




Clube de Patinação de Estrela – Fundado em 01/05/1977 e registrado em 23/04/1979, tinha como presidente Vitor Fensterseifer.
O objetivo do clube era a prática de esportes sobre patins, com sede na cidade de Estrela.




Em 01/05/1921 era fundado a Sociedade Santa Cecília de Linha Delfina




Sociedade Santa Cecília de Linha Delfina – Fundada em 01/05/1921, foi registrada no Cartório de Estrela, em 04/10/1967, sendo presidente Balduíno E. Collet.
O objetivo da sociedade era cultuar o canto sacro e profano, mantendo um coro para as atividades religiosas, com sede na Linha Delfina.
Está filiada à Liga de Corais de Estrela.



Nossa História

29/04/2013 - Data comemorativa de amanhã, dia 30/04




Em 30/04/1963 era fundada a Associação Atlética Banco do Brasil - AABB




Associação Atlética Banco do Brasil - AABB – Fundada em 30/04/1963, foi registrada no Cartório de Estrela em 09/11/1964, sendo presidente Roberto Pizzi, com o objetivo de desenvolver a cultura intelectual, prática e desenvolvimento de esportes, reuniões artísticas, literárias e sociais, bem como excursões.
O primeiro imóvel foi transacionado com a Cervejaria Polar S. A., em dezembro de 1970.
Em 18/05/1972, foi comprada de Elly Eckert Schorr a atual área da sede, no Bairro São José, com 21.605 m².



Nossa História

22/04/2013 - Data comemorativa de amanhã, dia 23/04




Em 23/04/1991 era fundada a Associação dos Moradores do Bairro Boa União - Ambu




Associação dos Moradores do Bairro Boa União - Ambu - Fundada em 23/04/1991, foi registrada em 04/07/1991, sendo presidente Renato Alfredo Horn e vicepresidente João Oterno Bastian, com o objetivo de lutar para o bem comum da comunidade.



Em 23/04/1997 era fundada a Estrela Fazenda Libertadora




Estrela Fazenda Libertadora – Fundada em 23/04/1997, foi registrada em 14/05/1997, tendo como presidente Maria Otávia Wolf e vice-presidente Miriam Susana Barth. O objetivo é a recuperação de toxicômanos e alcoólatras, com sede na cidade de Estrela.



Nossa História

21/04/2013 - Data comemorativa de amanhã, dia 22/04




Em 22/04/1989 era fundada a Associação dos Professores Municipais de Estrela - Aprome




Associação dos Professores Municipais de Estrela - Aprome – Fundada em 22/04/1989, foi registrada em 14/08/1989, sendo presidente Eli Rodrigues, com o objetivo de promover a união dos professores de Estrela, defender os interesses da classe e dos associados ou individualmente perante as autoridades no que se refere à sua vida funcional, com sede em Estrela.



Nossa História

16/04/2013 - Data comemorativa de amanhã, dia 17/04


Sociedade Rio Branco


Em 17/04/1947 era fundada a Sociedade Rio Branco




Sociedade Rio Branco – Fundada em 17/04/1947, com o nome Sport Clube Rio Branco, e registrada no Cartório de Estrela, em 22/04/1950.



Nossa História

13/04/2013 - Data comemorativa de amanhã, dia 14/04




Em 14/04/1929 era inaugurado o primeiro prédio do Hospital Estrela




Hospital Estrela – Construído o primeiro prédio pela comunidade estrelense e inaugurada em 14/04/1929, com a denominação inicial de Casa da Saúde Estrelense, foi entregue à Sociedade Caritativa e Literária São Francisco de Assis, em Estrela, na Rua Geraldo Pereira, 405. Contava com 25 leitos.
Registrado em 11/09/1953, tinha como presidente Madre Carista Rosamunda Rodrigues da Fonseca.

Hospital Estrela em 1029




Em 14/04/1855 era feito a primeira menção do porto de embarque na Fazenda da Estrela




Porto Fluvial de Estrela – Primeira menção do porto de embarque na Fazenda da Estrela encontramos na Ata de 14/04/1855 da Câmara de Vereadores de Taquari, quando Antônio Fialho de Vargas requer para considerar de servidão pública o porto, de propriedade de Vitorino José Ribeiro.
Foi a primeira manifestação documentada de rivalidade entre Estrela e Lajeado.
Os vereadores aceitaram a recusa do proprietário, negando o uso público, mas esqueceram que a concessão das sesmarias exigia o uso público das margens dos rios e arroios.
O antigo e vistoso cais do porto foi inaugurado em 15/10/1924.


Porto Fluvial de Estrela



Nossa História

12/04/2013 - Data comemorativa de amanhã, dia 13/04




Em 13/04/2002 era lançado o Roteiro turístico Delícias da Colônia




Delícias da Colônia - Roteiro turístico lançado no Município de Estrela em 13/04/2002.



Nossa História

12/04/2013 - Data comemorativa de hoje, dia 12/04




Em 12/04/1985 era fundado a Liga Estrelense de Futebol Amador - Lefa




Liga Estrelense de Futebol Amador - Lefa - Fundada em 12/04/1985, foi registrada em 03/04/1987, tendo como presidente Ilson Carlos Kronbauer.
A sociedade civil tinha fins esportivos, com a finalidade de representar e dirigir o futebol amador e profissional, incentivando sua difusão e aperfeiçoamento, com sede em Estrela.



Nossa História

11/04/2013 - Data comemorativa de hoje, dia 11/04




Em 11/04/1989 era fundado o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Calçados




Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Calçados - Entidade Sindical em Estrela, fundado em 11/04/1989 foi registrado no Cartório em 08/06/1989, sendo presidente João Luiz Sehn, com o objetivo da defesa e representação legal da categoria profissional dos trabalhadores nas indústrias de calçados, com sede na cidade de Estrela, na rua Coronel Müssnich, nº 725.
Seu primeiro presidente foi Clério Diehl.



Nossa História

09/04/2013 - Datas comemorativas de amanhã, dia 10/04




Em 10/04/1997 era fundado a Associação de Pais e Mestres da Creche Municipal Casa da Criança Estrelense




Associação de Pais e Mestres da Creche Municipal Casa da Criança Estrelense – Fundada em 10/04/1997, foi registrada em 10/07/1997, sendo presidente Nela Hildebrandt Heberle, com o objetivo de integrar a comunidade, poder público, a creche e a família, buscando o desempenho mais eficiente e auto-sustentável do processo educativo, com sede na cidade de Estrela.



Nossa História

08/04/2013 - Datas comemorativas de hoje, dia 08/04




Em 08/04/1991 era fundado a Sociedade de Água Rota do Sol




Sociedade de Água Rota do Sol – Fundada em 08/04/1991 e registrada no Cartório de Estrela, em 11/08/1993, tinha como presidente Laurentinus Krindges.
O objetivo era a distribuição de água potável ao povoado, com sede na Linha Novo Paraíso.



Nossa História

06/04/2013 - Datas comemorativas de hoje, dia 08/04




Em 06/04/1998 era fundado o Círculo de Pais e Mestres da Escola Municipal de 1º Grau Léo Joas




Círculo de Pais e Mestres da Escola Municipal de 1º Grau Léo Joas – Fundado em 06/04/1998 e registrado em 24/08/1998, sendo presidente Nelson Antônio Scheeren e vice-presidente Valdir José Klafke, o objetivo é colaborar na assistência e formação do educando por meio de aproximação dos pais, alunos e professores.
A sede é no Bairro das Indústrias, em Estrela.